No Banner to display

Família de menina de 5 anos com diabetes cria vaquinha online para comprar bomba de insulina de R$ 18 mil em MT

De acordo com a tia de Anna Lara Rocha e Silva, a família gasta cerca de R$ 3,5 mil por mês com remédios e alimentação específica.

Anna Lara possui diabetes tipo 1 e faz o uso de duas insulinas — Foto: Arquivo Pessoal/ Sabrina Costa Silva de Assis

A família de Anna Lara Rocha e Silva, de 5 anos, que possui diabetes tipo 1, criou uma vaquinha online para comprar uma bomba de insulina que custa em média R$ 18 mil em Cuiabá. O aparelho vai ajudar na qualidade de vida da menina, já que ela precisa medir a glicemia e aplicar insulina mais de seis vezes ao dia.

Anna Lara foi diagnosticada em 2020, após ter dificuldades para respirar e ser levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na capital. De acordo com a tia da menina, Sabrina Costa Silva de Assis, ao chegar no local, os médicos diagnosticaram Anna Lara com sinusite e a criança teve alta para voltar para casa.

A tia contou que no caminho, Anna Lara teve o mesmo sintoma, além de febre. No desespero, a família foi até o pronto atendimento de um hospital particular de Cuiabá. Ao chegar na unidade, a menina realizou vários exames e foi diagnosticada com diabetes tipo 1.

Como Anna Lara não possui plano de saúde, a internação e os exames geraram uma dívida de cerca de R$ 15 mil para a família. De acordo com Sabrina, a criança utiliza duas insulinas que são isolantes das refeições, chamadas de ‘correção’. Os medicamentos são aplicados antes de todas as refeições que Anna Lara faz.

A família conseguiu uma das insulinas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas a outra é adquirida de forma particular, além de fazer acompanhamento com endocrinologista, nutricionista, pediatra, oftalmologista e psicólogo.

“Ela estuda de manhã em uma escola municipal e faz entre 9 e 10 correções de insulina. Tudo que ela for comer, se alimentar ou por questões de segurança, é preciso medir a glicemia. Então na escola ela mesma faz a aplicação e mede”, contou Sabrina.

Para fazer a aplicação dos isolantes, é preciso de uma agulha, duas canetas de insulina – uma para cada tipo de isolante – e um sensor para medir a glicemia.

A tia contou que Anna Lara utiliza mensalmente:

  • 300 tiras para a medição da glicemia – R$ 449.98
  • 100 lancetas – R$ 88,49
  • 300 agulhas 4mm – R$ 360,00
  • 2 sensores – R$ 579,80
  • 3 insulinas – R$ 176,31
  • Alimentação especial por semana – R$ 500,00

De acordo com a família, é um gasto médio de mais de R$ 3,5 mil. Para que Anna Lara tenha uma qualidade de vida melhor, a família criou uma vaquinha online para comprar uma bomba de insulina, que faz a medição da glicemia e a aplicação das insulinas de forma automática.

“A bomba de insulina faz tudo isso e vão vir mais quatro meses de insumos, que são as medicações que são utilizadas na bomba. A bomba entende quando precisa jogar insulina, quando precisa diminuir, tudo de forma automática”, contou.

Com a campanha, a família já arrecadou a maior parte e precisa de cerca de R$ 2,5 mil para comprar o aparelho. Sabrina explicou que para que a menina consiga compreender a doença, ela faz acompanhamento psicológico, mas muitas vezes se sente mal e disse estar cansada de ser diabética.

“Ela veio triste semana passada porque a mãe de uma criança fez uma festinha na sala e ela não pôde participar porque não tinha ninguém para acompanhá-la, medir a glicemia e fazer a correção. Até pediram para ela ir embora mais cedo para não ver a festa acontecer. Ela está com vergonha de levantar a roupa para aplicar a insulina na barriga e os colegas ficam perguntam porque ela é assim. Ela me disse que está cansada de ser diabética e fico muito triste”, disse a tia.

Por Caroline Mesquita, g1 MT

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

%d blogueiros gostam disto: